Arquivo mensal agosto 2015

porLucas Pavel

Pedestres X Ciclistas

pedestre-nas-ciclovias

Em nossas andanças diárias vemos muitos conflitos entre ciclistas e pedestres. Diariamente eu vejo de perto que se por um lado bicicletas passam o sinal vermelho, por outro pessoas caminham em ciclovias.

Muitas vezes nas avenidas mais movimentadas do Rio, aonde ainda é permitida a circulação de carros e ônibus em alta velocidade, deixando o ciclista sem espaço. Que, para se proteger, se vê obrigado a pedalar pela calçada. E, por essa atitude, acaba sendo duramente criticado.

Assim sendo, é importante assegurar que quando um pedestre por ventura invade a ciclovia, o ciclista não pode jogar a bike para cima dele. É sempre lamentável quando isso ocorre como o que aconteceu com um senhor de 78 anos que acabou morto após ser atropelado por uma bicicleta na ciclovia do minhocão em São Paulo na semana passada.

Muito ainda tem que ser feito para evitar brigas entre pedestres e ciclistas. Investimentos em uma campanha de educação evitariam maiores conflitos. Acreditamos que tão importante quanto construir ciclovias e diminuir a velocidade dos automóveis seria promover uma campanha de educação que ensine todos a se respeitarem – ciclistas e pedestres.

porLucas Pavel

Mais bicicletas do que habitantes

amsterdam

euvoudebike

Amsterdam, possui, 799.442 habitantes. E 881 mil bicicletas (fonte: Jornal Público) . Os números mostram que mais da metade do moradores vão para o trabalho de bicicleta. Ao fim da tarde, o centro é invadido por ciclistas, há quem possua duas bikes, uma para lazer e outra para ir para o trabalho. Além deste ser o meio de transporte oficial das autoridades, prefeito, correios. Elas estão por toda parte – nas canais, nos bicicletários, nas praças, nas calçadas, com cadeado, ou simplesmente largadas de qualquer jeito.

Por que é que Amsterdam é tão confortável para usar a bicicleta como meio de transporte? De que forma pode a capital da bike pode inspirar a cidade maravilhosa a se tornar a capital da bicicleta no Brasil? Vale dizer que estivemos em lá e ficamos muito bem impressionados com a qualidade dos mais de 400 quilómetros de ciclovias, e dos estacionamentos de bike que são outra figura importante. Quase todo lugar possui um. Desta forma, a política de mobilidade da cidade está essencialmente organizada em torno das pessoas, com um papel crucial na infraestrutura cicloviária como pilar de sustentação. Não é fácil fazer comparações exatas, mais talvez aqui no Rio nunca venha a ser um meio de transporte de massas, e nem precisa ser, assim como acontece lá em Amsterdam. Tem apenas de ser mais uma opção inteligente e segura. E aqui no Rio já começa a ser.

O Rio de Janeiro tem que investir ainda mais no ciclismo urbano e quem sabe num futuro próximo poderemos ter nossa cidade entre os melhores lugares do mundo para o ciclismo. Assim como em Amsterdam, o terreno aqui é plano. é cada vez mais comum vermos pessoas de bicicleta indo para o trabalho ou ao mercado ou até numa loja, escola, e etc… Muito ainda tem que ser feito. Apesar dos buracos e da falta de uma rede contínua, pois muitas das ciclovias foram projetadas apenas para às áreas de lazer. Critico, às vezes de forma muito dura, por que os ciclistas precisam de ciclovias que levem de um lugar a outro, e não de vias subutilizadas pela falta de usuários durante a semana. Não há nenhuma nas principais avenidas da cidade, o que faria sentido. Talvez devesse haver uma na Avenida Presidente Vargas até a Zona Norte, por exemplo. Com isto, certamente cada vez mais pessoas poderiam estar indo para o trabalho de bicicleta. O Rio merece e o carioca exige.

 

 

porLucas Pavel

CPI da BIKE

images|cms-image-000443658

Após a morte do médico Jamie Gold na Lagoa, foi instaurada na Câmara dos Vereadores uma CPI da Bike encabeçada por Jefferson Moura (PSOL). E qual é a principal dificuldade enfrentada pelos ciclistas na cidade, de acordo com a CPI? Na verdade, são várias as dificuldades. Dentre elas, falta de ciclovias adequadas, de educação no trânsito e de segurança de um modo geral. No entanto, o principal vilão ainda é o atropelamento, nas palavras de Moura. Cerca de 2 ciclistas são vítimas de acidentes por mês no Rio.

Os vereadores agora estão estudando as condições das ciclovias construídas nos últimos anos, assim como as que estão em progresso. O vereador cita a ciclovia de Laranjeiras como um caso a ser observado com calma. Ela passa por pontos com banca de jornal no meio da pista, por exemplo. Em alguns trechos, os ciclistas circulam junto a carros. O projeto está orçado em mais de 1 milhão de reais e apresenta vários problemas.

A CPI da bike deve encerrar seus trabalhos em novembro. O relatório final promete mudanças. Dentre elas: criação da delegacia especializada no roubo de bikes e no atendimento ao ciclista. Moura também promete maior rigor na compra e venda de bikes.

porLucas Pavel

DIA NACIONAL DO CICLISTA

evolucao_do_ciclista_t_shirt-ra479c8f1ecb24283b410a79ba5e55d22_804g9_512

Essa semana nós comemoramos o Dia Nacional do Ciclista, 19 de agosto. Pouca gente sabe, mas essa data foi criada em homenagem ao biólogo e ciclista Pedro Davison, que foi atropelado e morto por um motorista que dirigia em excesso de velocidade e embriagado no Eixo Rodovário Sul, Brasília.

Nós da Camelo aproveitamos essa data pra dizer que dia de pedalar é todo dia, mas claro que uma pausa pra reflexão sobre o papel do ciclista na sociedade sempre é bem-vinda. O ciclista é o cara que por definição desafia a lógica carrocêntrica que nos circunda, cortando a cidade em seu camelo metálico. E de quebra, chegando mais rápido de nos lugares, sem poluí-los ou engarrafá-los.

Pedalar é uma forma de EVOLUÇÃO.

 

porLucas Pavel

Seis filmes de bike no Festival Internacional de Curtas Metragens da Cidade de São Paulo

THE MAN WHO LIVED ON HIS BIKE from Guillaume Blanchet I Filmmaker on Vimeo.

Seis filmes que têm a bicicleta como foco estão entre os 350 filmes de 52 países que participam na 26ª edição do  Festival Internacional de Curtas Metragens da Cidade de São Paulo , que vai acontecer de 19 a 30 de agosto.

O Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo- um dos maiores do mundo no seu género – este ano conta com: “Carro – um trajeto”, “Personagens em Deslocamento”, “Mobilidade Humana”, “Vélo”, “O Homem Que Vivia Em Sua Bicicleta, de Guillaume Blanchet, e o “Passeio de Bicicleta, de Bernard Attal (que conta a história de uma garotinha, cujos pais se separaram recentemente, se reconcilia com as incertezas da vida durante passeios de bicicleta com o pai.

 

porLucas Pavel

FÓRUM INTERNACIONAL DE MOBILIDADE POR BICICLETA

A 5ª edição do fórum “INTERNACIONAL DA MOBILIDADE POR BICICLETA” vai acontecer entre os dias 20 e 22 de Setembro e pretende contar a estória da bike no Rio. Inserida no âmbito do Dia Mundial Sem Carros – e nos 450 anos do Rio de Janeiro.

O evento, organizado pela Prefeitura do Rio de Janeiro através da Secretaria de Meio Ambiente da Cidade. Este ano a visita técnica será no dia 22 de Setembro, Dia Mundial Sem Carro, na ciclovia das Laranjeiras.

Saiba mais em BICIRIO!

image002

porLucas Pavel

SÃO PAULO X RIO DE JANEIRO

 

2015_08_09_fa_ciclovia_4Hoje, a maior cidade do país, é a cidade que mais investe em infra-estrutura cicloviária no Brasil. A criação dos 351 Km de ciclovias e a redução da velocidade das avenidas são apontados como alguns dos segredos para a cidade receber tantos elogios dos especialistas em mobilidade.

Na pratica o Haddad (PT) esta fazendo de São Paulo a Copenhagen dos trópicos. Por exemplo, o programa de ciclovias de Sampa é muito diferente do que tem sido implementado aqui no Rio. A velocidade com que as mudanças vêm acontecendo é impressionante. Em apenas 4 anos a cidade ganhou mais de 300 km de ciclovias. Outra coisa legal é que foram estas mudanças estruturais que fizeram São Paulo escalar rapidamente posições no ranking da cidade com a maior rede cicloviáraia do país, ficando lado a lado com o Rio.

Antes, o Rio era a cidade com mais infra-estrutura cicloviária. Sendo certo que as duas cidades melhoraram desde então, a progressão da terra da garoa foi muito superior. Nos últimos anos, os paulistanos ganharam mais investimentos, e já estão na 2.ª posição do ranking das cidades com mais Km de ciclovias no país.

porLucas Pavel

Startup cria capacete com iluminação de segurança e indicação de direção

A Lumos Helmet inovou o mercado de produtos para segurança dos ciclistas urbanos com um produto que permite dar mais visibilidade para o capacete. Agora, o ciclista pode se sentir mais seguro com o capacete bem iluminado!

Entrega Rápida

Produtos nacionais e importados até 7 dias úteis.

Devolução gratuita

Aceitamos devoluções por qualquer motivo e o custo do frete de retorno é nosso.

Formas de pagamento

Aceitamos os principais cartões de crédito e parcelamos em até 12x sem juros.

Compre por telefone (21) 98838-1106
Perguntas Frequentes


Rua Almirante Guillobel 47
Lagoa - Rio de Janeiro - RJ




desenvolvido por