BIKE É MELHOR ALTERNATIVA PARA SE MANTER SÃO NO CONFINAMENTO

IMG_8573

Depois de um bom intervalo, eis que estamos de volta. Estivemos tocando alguns projetos paralelos, mas nunca sem esquecer os motivos que nos fazem estar aqui. Agora que o mundo foi forçado a fazer uma pausa coletiva, percebemos que essa era nossa hora de voltar a produzir material.

Esses são tempos difíceis. Não tem pensamento positivo nem good vibes que resista ao que todos estamos passando. É tempo de reflexão, talvez introspecção e certamente de proteção. Manter-se em casa nunca foi uma tarefa tão penosa. O que mais pesa nessa conta é o fato de que não há outra opção. É preciso ficar.

Você leitor/a deve estar se perguntado: o que dá pra falar sobre bicicleta em tempos de confinamento e de covid-19? Aparentemente, tudo. Acreditem, falar sobre bicicleta nunca fez tanto sentido. Desde um aspecto mais prático até questões mais profundas sobre mobilidade, espaço urbano, saúde e bem-estar.

Algumas das reflexões que vamos fazer aqui nesse artigo são baseadas em diversas matérias de jornais do mundo todo, em especial do jornal alemão Der Spiegel, principalmente em relação ao que disse o ministro da Saúde de lá a respeito dos benefícios do ciclismo face o novo corona.

Bom, primeiro precisamos ser justos com as pessoas que estão passando pela quarentena. As pessoas todas não estão passando por ela de forma igual. Existem aqueles que estão lidando com um enfrentamento real. Estão na linha de frente, como funcionários de saúde, supermercados, farmácias, petshops. Essas pessoas meio que não estão tendo escolha e por isso estão mais vulneráveis. Nesse sentido, considerando que ficar em casa não é uma opção, pegar um transporte coletivo tampouco é. Quem pode se locomover de bicicleta em meio ao nosso novo caos estará, com isso, evitando as tão nocivas aglomerações. Além disso, tornam os transportes coletivos menos cheios e, assim, menos perigosos também. Uma outra grande vantagem de optar pela bike é que com isso evita-se o risco de contato com superfícies. Muitas vezes os transportes públicos são lavados apenas uma vez ao dia, o que os torna um espaço de contaminação fácil. Ou seja, as microgotas que nos transmitem o corona ficam nessas superfícies por algum tempo (até 9 dias, dependendo do material, como diz o Der Spiegel). O contágio é fácil, muitas vezes inevitável, coisa que não acontece na bike. Na bicicleta, você não tem contato com outras pessoas nem com superfícies de rápido contágio. É como se você estivesse “voando”, longe dos fatores patogênicos.

Por outro lado, para o/as sortudo/as que estão podendo ficar em casa, entende-se que devam estar ficando apenas em casa e só. Porém, é inegável que o confinamento (somado ao medo da nossa época) gera transtornos físicos e mentais para muitos. Então, nesses casos, talvez o melhor seja mesmo sair de casa que seja para se exercitar ou levar o cachorro para passear. São atividades que ajudam a manter a sanidade em dia. Pensando em esportes, a bike é mesmo ideal para esse momento porque até de acordo com as regras do trânsito, é preciso se manter a 1,5m de distância de outrem. Também dificilmente uma pessoa em locomoção rápida via bike estaria em contato com as microgotas de tosse que têm contaminado tantas pessoas. De qualquer forma não seja teimoso como as ciclovias não são largas, o que dificulta a distância de um metro e meio um do outro. Portanto, pense com cuidado antes de expulsar todo o estresse de ficar sentado dentro de casa. Por exemplo, escolha um horário silencioso do dia.

De uma forma geral, tanto para os confinados quanto para os nossos queridos heróis sem capa, pedalar é uma forma de manter os pulmões fortes. A respiração ritmada ajuda a limpá-los. Como diz o ministro alemão Jens Spahn, os músculos pulmonares são exercitados durante esportes que exigem esforço. Com uma pedalada cíclica, o sistema respiratório também fica bem ventilado e há melhor distribuição de sangue. De acordo com ele, com uma respiração mais intensa, você limpa seus pulmões, o que é perfeito para a proteção contra o vírus. Com isso, também o sistema imunológico é reforçado. Ora, a essa altura todos sabemos que dois são os males principais no enfrentamento ao covid-19: ter uma imunidade baixa e um sistema respiratório debilitado. Nesses dois quesitos, a bike se apresenta como opção excelente para se manter saudável e funcional nesse período. Jens deixa claro que tanto no quesito diminuição de contato social e em superfícies contaminadas quanto fortalecimento do organismo, a bicicleta é a melhor arma contra o Covid-19.

Lógico que cada um entende suas demandas e sabe os perigos que corre. Também não estamos aqui incentivando um ciclismo irresponsável. É importante higienizar a bicicleta corretamente e pesar se sua saída vale ou não a pena. Usar serviços de compartilhamento de bikes está fora de cogitação. Mas se o movimento é importante para se manter bem e as medidas de segurança estão sendo observadas, por que não?

Força para todos os leitores e vamos nos manter sãos!